Eu Sou o Número Quatro (I Am Number Four) 2011

Posted on 14/05/2011 por

0


Sinopse: Adolescente alienígena e seu protetor vivem na Terra mudando de endereço e identidade para fugir de uma raça de exterminadores que destruiu seu planeta de origem.

Comentários: Baseado no primeiro livro do que pretende ser uma série de seis, escrita por Pitaccus Lore (na verdade, o pseudônimo de outros dois escritores americanos: James Frey e Jobie Hughes), Eu Sou o Número Quatro recebeu uma adaptação para o cinema sob o comando do “diretor profissional” D. J. Caruso (“Paranóia”, “Roubando Vidas”). Some-se a isso o “dedo” de Michael Bay (“Transformers”, “A Ilha”, “Bad Boys”) na produção, que é garantia de duas coisas: orçamento multimilionário (ou seja, recursos não faltam) e cinema pipoca (diversão sem maiores pretensões).

O filme narra a história de John Smith (Alex Pettyfer), também conhecido como “Número Quatro”.  Ele é um adolescente vindo do planeta Lorien, caçado por uma raça de alienígenas com dentes pontiagudos (que lembram muito os vampiros de Trinta Dias de Noite, inclusive no tom de voz), os Mogadorianos (ou “Mogs”). John e seu “pai”, Henri (na verdade, um guerreiro de Lorien incumbido de protegê-lo), precisam constantemente mudar de cidade e de identidade para despistar seus perseguidores, que estão caçando os últimos lorianos em uma determinada seqüência. Como os Mogs acabaram de matar o “número três”, adivinhem quem é o próximo?

Após um incidente em público envolvendo John (que no início do filme atendia pelo nome de Daniel) e luzes saindo de seu corpo, ele e Henri se mudam para Paradise, uma cidadezinha no interior de Ohio. Lá, o rapaz forja alguns documentos (coisa básica) e se matricula na escola local. Aqui todo tipo de clichê de filme escolar imaginável é utilizado: do nerd perseguido pelo grupo de valentões (apesar do termo ser a hype do momento no Brasil, o bullying sempre esteve presente tanto no cinema quanto na vida real…) à ex-namorada do valentão-mór que acaba se envolvendo com o aluno novo. De repente, nos vemos no meio de jovens esbanjando super poderes muito similares aos dos X-Men dos filmes e detonando alienígenas “vampirescos” que se desfazem em cinzas (Blade?).

Apesar de originalidade não ser o forte de Eu Sou o Número Quatro, isso nem chega a ser um incômodo perto do principal defeito do filme: um roteiro com mais buracos que um queijo suíço. É inacreditável que os três roteiristas do filme (sim, eu disse TRÊS), que devem ter sido remunerados com quantias milionárias, tenham conseguido fazer um trabalho tão porco. Situações completamente infactíveis e atitudes absolutamente despropositadas dos personagens jogam por terra o que poderia ser um bom começo para uma franquia cinematográfica promissora. O personagem principal, que deve ter por volta de 18 anos (apesar de o ator aparentar ser bem mais velho) age em determinados momentos como se tivesse quatorze! O mesmo pode ser dito de outros adolescentes “crescidinhos” que aparecem na trama.

Aliás, sobre os roteiristas: pegaram a dupla responsável por blockbusters como Homem Aranha 2 e Máquina Mortífera 4 e os colocaram para trabalhar com a roteirista de “Buffy,a Caça Vampiros” (é sério!). Deu no que deu… E ainda, sobre a Sra. Marti Noxon, a roteirista de “Buffy”: ela será a responsável pelo script do remake de “A Hora do Espanto”, previsto para este ano (fãs de Peter Vincent, tremei!).

Tirando o roteiro (e a falta de originalidade), o filme é tecnicamente bom, contando não só com excelentes efeitos especiais, mas também com cenas de ação bem coreografadas, uma direção razoável (a cena do trem fantasma, apesar do desfecho boçal por conta do roteiro, cria bons momentos de suspense) e competentes fotografia e trilha sonora (esta assinada pelo ex-Yes Trevor Rabin).

Apesar dos pesares, fiquei uma boa impressão ao término do filme (talvez eu esteja me tornando um velho emotivo…), e estaria disposto a assistir sua continuação, se chegar a ser feita (o livro “The Power of Six” está para ser lançado em agosto deste ano). Mas torço para que alguma luz ilumine a cabeça desses produtores e eles contratem roteiristas honestos. Afinal, não é porque o público alvo desse tipo de película (o adolescente americano médio) é alienado que ele também tem que ser retardado mental.

Nota:

Ficha Técnica:
Título Original: I Am Number Four
Título Nacional: Eu Sou o Número Quatro
Direção: D.J. Caruso
Elenco: Alex Pettyfer, Timothy Olyphant, Dianna Agron, Callan McAuliffe e Teresa Palmer.
Ano: 2011
País: Estados Unidos
Duração: 109 minutos

Posted in: Ação, Ficção, Suspense