Giallo – Reféns do Medo (Giallo) 2009

Posted on 14/02/2011 por

2


Sinopse: Irmã de uma modelo seqüestrada por um serial killer une forças com policial especializado em crimes brutais para tentarem salvá-la antes que o assassino a mate.

Comentários: Quando o filme mais recente de Dario Argento – um nome desconhecido do grande público, mas venerado por uma legião de fãs de filmes de horror – foi anunciado, seu nome gerou grandes expectativas dentre os apreciadores do gênero.

Giallo, que signifca “amarelo” numa tradução literal do italiano, na verdade é uma referência à cor das capas de livros policiais publicados naquele país na primeira metade do século XX, mas que acabaram influenciando uma geração inteira de cineastas nas décadas de 60 e 70, tornando-se um sub-gênero do terror/suspense. O próprio Argento iniciou sua carreira nesse tipo de filme, com a chamada “trilogia dos animais” (“As Plumas de Cristal” de 1970, “O Gato de Nove Caudas” e “Quatro Moscas no Veludo Cinza”, estes últimos de 1971), coroando sua filmografia com aquela que é considerada a obra prima dos giallos italianos: “Prelúdio para Matar” (1975).

Logicamente, um novo filme do Argento, ainda por cima com o nome “Giallo”, seria garantia de coisa boa. Nem tanto…

O filme conta a história de Linda (vivida pela Sra. “Roman Polanski”, Emmanuelle Seigner), em visita a sua irmã Celine (Elsa Pataky), uma modelo que mora na Itália. Logo em sua chegada, ela perde o contato com a irmã no celular, e procura a polícia para dar queixa de seu desaparecimento. É quando ela conhece o inspetor Enzo Avolfi (Adrien Brody), policial ítalo-americano que esconde um trauma de infância (tema recorrente na obra de Argento). Enzo está encarregado da investigação de uma série de crimes cometidos por um assassino em série cuja “assinatura” é desfigurar o rosto de mulheres bonitas.

Na primeira parte do filme, o mistério gira em torno da identidade do assassino. Tudo caminha “bem”, com belas imagens da cidade de Turim somadas às tradicionais câmeras subjetivas “absurdas” e às cenas de violência extrema, “marcas registradas” do cineasta carcamano. Mas lá pela metade, toda a expectativa acerca do termo “giallo” cai por terra quando nos é revelada a identidade do criminoso: um sujeito feioso (numa maquiagem tosca), que possui a pele amarelada em decorrência de uma doença congênita no fígado (nos giallos tradicionais, o maníaco só é revelado no final). A partir daí, o mote central da trama é sabermos se a modelo será resgatada com vida ou não.

No fim (que não revelarei), temos um epílogo com um encerramento abrupto (me lembrou o final de Frenesi, do Hitchcock), que dá margem a interpretações diversas por parte do espectador.

Mesmo com altos e baixos, é sempre bom vermos que um cineasta autoral como Argento mantém uma boa freqüência em sua filmografia (se contarmos os dois episódios da série “Masters of Horror”, foram sete filmes só na década passada), ao contrário de outros diretores italianos de sua época – alguns por não estarem mais entre nós. Por mais mediano que “Giallo – Reféns do Medo” possa ser, a obra ainda consegue “chutar as canelas” de muita coisa ruim que se filma hoje em dia.

Nota:

Ficha Técnica:

Título Original: Giallo
Título Nacional: Giallo – Reféns do Medo
Direção: Dario Argento
Elenco: Adrien Brody, Emmanuelle Seigner, Elza Pataky.
Ano: 2009
País: EUA, Reino Unido, Espanha, Itália
Duração: 92 minutos

Posted in: Policial, Suspense, Terror