GATTACA – Experiência Genética (GATTACA) 1997

Posted on 09/02/2011 por

4


Apesar de Gattaca ser um filme de 1997, seu tema continua bastante atual.

Em um futuro pouco, pouco distante…

Avanços na manipulação genética passam a permitir que expectativa de vida de uma pessoa e sua propensão para desenvolver doenças sejam aferidas no nascimento, com a extração de uma simples gota de sangue.

Casais que desejam ter um filho passam a procurar geneticistas capazes de realizar a fecundação dos óvulos da futura mãe em laboratório, procedimento que possibilita a seleção de embriões; a eliminação de predisposições a doenças sérias e de características prejudiciais como calvície precoce, miopia, propensão para violência e para obesidade; a escolha do sexo do futuro bebê e a especificação das melhores características dos pais, incluindo cor dos cabelos, dos olhos e etc.

O lugar das pessoas na sociedade passa a ser determinado de acordo com seus códigos genéticos, dando origem a duas classes de cidadãos: os válidos (programados para serem geneticamente perfeitos) e os inválidos (de nascimento uterino, portadores de imperfeições genéticas), sendo esses últimos considerados aptos apenas para desempenhar trabalhos menos valorizados.

É no contexto dessa sociedade que Vincent Freeman (Ethan Hawke) deseja realizar seu sonho de viajar para o espaço, obtendo um emprego na companhia aeroespacial Gattaca. Contudo, tendo Vincent nascido como um dos últimos “filhos da fé” e sendo portador de imperfeições, elevados percentuais de probabilidade para o desenvolvimento de doenças e baixa expectativa de vida, suas chances de conseguir trabalhar em Gattaca são nulas.

Determinado a alcançar seu objetivo, Vincent descobre no mercado negro a possibilidade de assumir a identidade de Jerome Eugene Morrow (Jude Law) – um homem considerado geneticamente perfeito que ficou paraplégico em virtude de um acidente – e utilizar amostras de seu material genético para burlar os testes realizados em Gattaca.

Quando Vincent se encontra prestes a ser designado para uma missão espacial, ocorre um evento que pode comprometer sua identidade falsa.

O que mais impressiona em Gattaca é que, sem fazer uso de efeitos especiais, ele se consagra no gênero de ficção científica por seu excelente roteiro. O filme consegue transmitir muito bem a idéia de um futuro não muito distante, possível de se imaginar, bem como passar a sensação de como é viver numa sociedade em que as pessoas são discriminadas pelos seus genes, em que uma entrevista de emprego se resume a um mero exame do seu código genético. Vale mencionar a cena em que os pais de Vincent estão com ele na frente do que parece ser o playground de uma escola e a funcionária diz “sinto muito, o seguro não cobre. Se ele cair…” , bem como a cena em que Irene Cassini (Uma Thurman), interessada em Vincent, retira um fio de cabelo de um pente encontrado na gaveta dele para obter uma análise de sua sequencia genética.

O filme levanta questões interessantes como os limites da manipulação genética (o contraste entre as duas  citações apresentadas no início) e o potencial humano para, através de dedicação e perseverança, superar obstáculos e expectativas.

Gattaca é um filme que merece ser revisto devido aos seus pequenos detalhes, a começar pelo próprio nome GATTACA, que é formado pelas primeiras letras das bases nitrogenadas do DNA: Adenina, Timina, Citosina e Guanina.

Para quem estiver procurando um filme de ficção científica com um roteiro muito bem bolado, segue abaixo o trailer de Gattaca, disponível no site do Youtube:

Classificação:

Ficha Técnica:

Título Original: Gattaca
Titulo em Inglês: Gattaca
Título Nacional: Gattaca – Experiência Genética
Direção: Andrew Niccol
Roteiro: Andrew Niccol
Elenco Principal: Ethan Hawke, Uma Thurman e Jude Law
Gênero: Ficção
Ano: 1997
País: Estados Unidos
Duração: 106 min

Posted in: Ficção